Precisa de ajuda?

(62) 9 8477-2963

Entre em contato:

comercial@institutolg.com.br

Mitos e verdades sobre amamentação: tudo que é preciso saber

mitos e verdades sobre amamentação

Saiba diferenciar os fatos, as informações corretas e os mitos sobre o aleitamento materno.

Leite fraco, frequência das mamadas, prótese de silicone…Ao longo da gestação da maternidade nós somos atingidas por uma enxurrada de informações relacionadas à amamentação. O problema é que nem todas essas informações são verdadeiras.

Muito do que é perpetuado sobre a amamentação vem de mitos, distorções da realidade e interpretações erradas. Por isso, separamos alguns mitos e verdades sobre a amamentação para você saber de uma vez por todas quais informações deve considerar e quais você deve ignorar.

Confira os principais mitos e verdades sobre a amamentação que ouvimos por aí

Quanto mais o bebê mamar, mais leite a mãe produzirá

Verdade: A produção do leite materno vem pela sucção do bebê.⠀

A criança deve mamar a cada duas ou três horas

Mito: Não há uma regra, e a periodicidade varia conforme o bebê. A única recomendação é que a mãe ofereça o leite em “livre demanda”, ou seja, toda vez em que o bebê sentir fome.

É preciso revezar os dois seios para amamentar

Mito: O bebê pode se saciar somente com um seio, e na próxima mamada a mãe oferecer a outra. Como ele pode não se saciar com uma mama só durante a mamada e a mãe oferecer as duas mamas em uma mesma mamada.

Algumas mães produzem leite fraco

Mito: Cada mãe produz o leite adequado para as necessidades de seu bebê.

Mamadeira e chupeta interferem no aleitamento

Verdade: Os bicos de chupetas e mamadeiras aumentam o risco de desmame, principalmente se dados precocemente. Além disso, o bebê rejeita o seio materno por fazer confusão de bico.

As fórmulas atuais são quase como o leite materno

Mito: As fórmulas que existem no mercado não contém os anticorpos, células vivas, enzimas, ou hormônios presentes no leite materno.

Estresse e ansiedade prejudicam a produção de leite

Verdade: A adrenalina liberada pelo estresse interfere na quantidade de prolactina (hormônio responsável pela produção do leite). No entanto, essa “diminuição” momentânea causada pelo estresse é reversível.

O colostro não é leite, não tem nutrientes para o bebê.

Mito: O colostro é o primeiro líquido produzido pela mama e possui nutrientes, glicose e fatores de proteção.

Quanto mais líquido a mãe ingerir, mais leite terá

Mito: A mãe vai produzir leite independentemente da quantidade de líquido que ingerir.

Casca de banana e mamão ajudam a cicatrizar feridas nas mamas

Mito: Não há comprovação de que atue na cicatrização.

O bebê que mama no peito não precisa tomar água

Verdade: Logo que o bebê começa a mamada, o primeiro leite que vem é 80% líquido, já mata a sede da criança e tem anticorpos.

Usar prótese de silicone interfere na amamentação

Em geral, mito: Hoje, as cirurgias para colocação de silicone são feitas de modo a preservar a possibilidade de amamentação. Mesmo quem faz a cirurgia para redução das mamas não tem a capacidade de amamentar prejudicada.

Amamentação é um anticoncepcional

Em partes: Enquanto a mulher amamenta exclusivamente, o ovário fica sem ovular, o que evita a gravidez. Mas há o risco de falhas neste processo.⠀

Para finalizar

Tudo que falamos ao longo do texto reforça a importância do aleitamento materno, inclusive, a amamentação continuada.

Apesar de ter sido esse o foco do nosso post, queremos ressaltar também a importância da nutrição materno-fetal nesse contexto.

Da mesma forma, a formação de profissionais de saúde para ajudar mães e futuras mamães no sentido de conscientizar e também no aspecto prático da amamentação, com cuidados, dicas e todo tipo de ajuda necessária.

Pensando nesse cenário, o Instituto LG, em parceria com a PUC Goiás, oferece um  curso de especialização na área, a Pós-graduação em Nutrição Materno-infantil com Ênfase em Aleitamento Materno.

Inclusive, a certificação é feita pela PUC Goiás, uma das instituições de ensino superior mais renomadas do país!

Esperamos que tenha gostado do artigo de hoje e que nossas informações tenham sido úteis.

Comente e compartilhe o post em suas redes sociais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos:

Categorias

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você autoriza NOME DO SITE a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.