Precisa de ajuda?

(62) 9 8477-2963

Entre em contato:

comercial@institutolg.com.br

Vantagens e conselhos sobre o aleitamento materno

Sabemos sobre a importância e os benefícios do aleitamento materno para mãe e bebê. 

No entanto, nunca é demais relembrar e até mesmo aprender um pouco mais sobre o tema, sobretudo quem atua ajudando mulheres nesse momento tão especial — e ao mesmo preocupante — de suas vidas. 

Por que preocupante? Porque gera muitas dúvidas para a mãe. Sobre falta de leite, excesso na produção de leite, até quando amamentar o bebê e muitas outras questões. 

Por isso, criamos um mini guia com algumas vantagens e conselhos sobre o aleitamento materno. Acompanhe!

Aleitamento materno: vantagens e conselhos

Vamos começar com as vantagens:

Para o bebê:

  • Fornece o alimento ideal, mais barato e seguro até aos 6 meses; 
  • O leite materno é completo em termos de nutrientes que ajudam no crescimento e desenvolvimento saudável do bebê; 
  • Contém agentes protetores, prevenindo contra o aparecimento de várias infecções como diarreias, infecções intestinais e respiratórias; 
  • Ajuda a prevenir contra o excesso de peso e a obesidade na infância; 
  • Contém gorduras em quantidade e qualidade que favorecem o desenvolvimento do cérebro da criança, o que favorece a sua capacidade de aprendizado na idade escolar; 
  • Apresenta uma digestão fácil; 
  • Reforça os laços afetivos com a mãe; 
  • Favorece o desenvolvimento mental do bebê;
  • A longo prazo, ajuda na prevenção de diabetes e linfomas.

Para a mãe

  • O leite materno é prático, sem necessidade de preparação, aquecimento e desinfecção; 
  • Promove uma recuperação rápida do corpo da mãe após o parto (maior rapidez na perda de peso); 
  • Reduz o risco do surgimento de câncer de mama e do colo do útero;
  • Aumenta a confiança da mãe, assim como a sensação de bem-estar;
  • Cria uma melhor ligação emocional entre a mãe e o bebê, pois garante uma maior estabilidade da criança;
  • O aleitamento materno é prático, pois está sempre preparado, a temperatura ideal e pronto para dar ao bebê.

Para a família

  • Permite uma maior gestão de custos, uma vez que se poupa dinheiro em leite artificial, mamadeiras, combustível e energia;
  • Reduz os custos da família, já que a criança adoece menos e diminui as despesas com o hospital.

Para o ambiente e comunidade

  • Não é necessário recorrer a embalagens, utensílios e gasto de energia, por isso, ajuda na preservação do ambiente;
  • Favorece o desenvolvimento social da comunidade, pois aumenta as crianças que crescem e desenvolvem-se com saúde.

13 conselhos sobre o aleitamento materno

  1. O leite que sai nos primeiros dias, é um líquido amarelado que contém substâncias que ajudam a proteger o bebê contra infecções. Por isso é importante dar de mamar logo após o parto;
  2. O leite continua a ser importante para o crescimento do bebê, até aos 2 anos;
  3. Crianças amamentadas só com o leite materno até aos 6 meses, tornam-se saudáveis e inteligentes na vida adulta;
  4. Em cada mamada, a criança deve ser amamentada até que ela largue o peito sozinha;
  5. A partir dos 6 meses de idade o bebê necessita de outros alimentos além do leite de peito, assim, tem assegurado um bom crescimento. Introduza aos poucos os alimentos sólidos;
  6. Além do leite materno, dê às crianças com mais de 6 meses, papas duas a três vezes ao dia;
  7. Deve-se sempre seguir as regras de higiene (lavar bem as mãos, os utensílios, as frutas e vegetais) na preparação da comida do bebê, assim se evita contaminações;
  8. Além das papinhas, a partir dos 6 meses os bebês podem também comer fruta esmagada (ex: banana, papaia, manga, pêra abacate, etc.). A banana pode também ser misturada nas papas;
  9. As papas devem ser preparadas com farinha de qualquer cereal (ex: milho, arroz, mapira, mexoeira) e, também se pode utilizar mandioca ou batata doce cozida e esmagada ou em forma de farinha; 
  10. A amamentação também proporciona conforto ao seu bebê doente. Por isso, se o seu bebê se recusar a mamar, incentive-o até que ele volte para a mama novamente;
  11. Dê apenas leite materno e medicamentos recomendados pelo profissional de saúde;
  12. Se o bebê for muito fraco para mamar, extraia o leite materno para dar a ele. Dessa forma, ajudará a manter a produção de leite e a evitar problemas na mama;
  13. Após cada episódio de doença, aumente a frequência do aleitamento materno para ajudar o seu bebê a recuperar a saúde e o peso.

Aprenda mais sobre aleitamento materno

Todos esses tópicos são tratados na formação dos profissionais de saúde que se especializam para atuar com o acompanhamento de gestantes e mães que não sabem da importância do aleitamento materno. Ou, conforme dissemos no início, têm dúvidas sobre fatos relacionados à gestão e amamentação.

Por isso, todos esses temas são trabalhados em nosso curso de pós-graduação em Nutrição Materno-Infantil com Ênfase em Aleitamento Materno. Essa pode ser a especialização que falta em seu currículo e os conhecimentos que faltam para você melhorar seus atendimentos.

Gostou do artigo de hoje? Comente e compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos:

Categorias

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você autoriza NOME DO SITE a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.