Atendimento:

O que é nutrição funcional e como atuar na área?

O que é nutrição funcional e por que você deveria se especializar e atualizar na área?

Bem, um dos grandes motivos não é segredo: ajudar as pessoas a manterem um ritmo balanceado na alimentação e uma dieta saudável, baseada em uma abordagem que leva em conta fatores genéticos, ambientais e bioquímicos individuais.

No artigo de hoje falamos mais sobre isso. Confira!

O que é nutrição funcional?

A Nutrição Funcional é uma abordagem da área da Nutrição que foi criada e estruturada por Jeffrey Bland, em 1990, nos Estados Unidos. 

O grande diferencial dessa abordagem é o acompanhamento individualizado de cada paciente, levando em consideração fatores não apenas físicos, mas também ambientais, como hábitos, rotinas, tipo de trabalho e saúde mental. 

As interações entre os sistemas são analisadas na hora de indicar os alimentos.

Outro ponto a se destacar é que a Nutrição Funcional visa o bem-estar físico e mental do paciente, indicando alimentos e dietas específicas que vão ajudar na melhora da qualidade de vida. A ideia não é apenas tratar de doenças já existentes, o que é bastante comum na área clínica.

As características da Nutrição Funcional

Assim como outras áreas específicas da profissão, a Nutrição Funcional também apresenta diretrizes que norteiam as decisões dos profissionais. Nesse caso, há cinco pontos que a determinam:

  • tratamento focado no paciente: diferentemente das abordagens mais tradicionais da Nutrição, em que geralmente se trata um problema de saúde a partir da alimentação, aqui as indicações são focadas na qualidade de vida do paciente como um todo, melhorando, consequentemente, a saúde;
  • individualidade bioquímica: na Nutrição Funcional, entende-se que cada paciente é único e tem interações exclusivas entre a genética e o ambiente. Ou seja, além dos genes, também são levados em consideração o estilo de vida do paciente e em qual contexto ele vive para indicar alimentos que promovam mais saúde;
  • equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes: pensando que cada paciente é único, é importante que os nutrientes sejam ofertados de forma equilibrada, pensando em quais são melhor absorvidos e aproveitados pelo organismo do paciente;
  • inter-relações com fatores fisiológicos: a Nutrição Funcional enxerga o corpo humano como uma rede interligada de sistemas, ou seja, tudo está interligado, e um problema em alguma das partes do corpo pode afetar todo o resto. Entende-se que tudo o que foge do funcionamento normal do corpo merece atenção. Assim, é possível tratar a causa dos problemas, não apenas seus sintomas;
  • saúde como vitalidade positiva: a Organização Mundial da Saúde entende a saúde como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. Ou seja, é muito mais do que não ter nenhum problema específico. É também se sentir bem físico e mentalmente a partir de uma qualidade de vida buscada pela Nutrição Funcional.

Por ter uma visão global do paciente, a área vem ganhando cada vez mais destaque dentro da Nutrição, aumentando o número de profissionais adeptos da Nutrição Funcional.

Agora que você já entendeu como ela funciona, é hora de saber o que é preciso para entrar na área!

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

Artigos:

Categorias

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você autoriza NOME DO SITE a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.